Guaxinins Fofos Enchem A Pança Em Nova York (contudo Conseguem Atravessar Raiva)

05 Feb 2018 16:24
Tags

Back to list of posts

is?EUOI9orpr4oTHa4SVkdKCrvHIdVQA_66vRzuEsmnZXI&height=160 Como uma quadrilha de bandidos em má çam a surgir em meio à vegetação rasteira, em uma noite recente no Central Park de Nova York. Os flashes das câmeras dos smartphones exercem com que seus olhos negros brilhem em meio ao pelo escuro que forma uma espécie de má Teoricamente nada aterrorizados, abundantes dos animais deixaram a proteção da vegetação e se aproximaram dos fotógrafos, pela pista pavimentada.Novos guaxinins os seguiram - e ainda outros fizeram o mesmo. No total, vinte e dois guaxinins deixaram o mato e se reuniram no pavimento, no limite sudeste do parque, onde ele faz fronteira com a rua 59 em Manhattan. Eles caminhavam por lá Karen Nevis, 56, turista vinda de Greensboro, pela Carolina do Norte, à sua irmã Stefanie Price, que vive em Manhattan, quando as duas passaram perto dos guaxinins. Um dos animais se aproximou sorrateiramente de um bebê que estava no carrinho, farejando. Price, 48. "Porém eles são tão bonitinhos".Na verdade, a multidão de guaxinins à beira do lago do Central Park tornou-se uma espécie de atração turística, com espetá ço de noite. Gorduchinhos por conta da pelagem de inverno (e quem sabe de todos aqueles pretzels), em duplas ou em grupos de dezenas de animais, os mamíferos noturnos passeiam pelas vias de pedestres do parque, dessa maneira que escurece. Estão à busca de transeuntes carregando comida. A prática de alimentá ça digna de uma imagem no Instagram, não é visão com bons olhos pelo Departamento Municipal de Parques de Nova York e por especialistas em fauna. Sarah Aucoin, diretora de fauna e educação no departamento de parques, numa mensagem de e-mail.Em 2010, surgiu um enorme surto de raiva entre os guaxinins do Central Park. E quatro casos da doença foram reportados em 2015 em Staten Island. Os guaxinins não estão atraindo atenção apenas em Manhattan. No Brooklyn, especialistas em captura de animais conseguem ter piorado o problema ao apanhá E fazê-lo não é necessá Benning DeLaMater, porta-voz do departamento, por e-mail. Mesmo desse jeito, a cada noite os guaxinins do Central Park enchem a pança com qualquer coisa que os visitantes do parque ofereçam.Numa noite recente, havia animais comendo balas de goma orgânicas em maneira de urso, jogadas para eles por um bebê em teu carrinho; batatas chips; e um pedaço de cachorro-quente. De vez enquando, eles ganham um legítimo banquete –um padeiro ambiente aparece para despejar três dúzias de bagels vencidos na á Enquanto a noite caía, Fernando Caligaris, vinte e nove, apareceu com sua mãe, a dra. Maria Caligaris, de São Paulo, para ver de perto os animais. Criação de gases 1 Biografia um.Um 1987—2008: Nascimento e início de carreira dois de maio de 2015 às 17:57 12 Link quebrado 3 50% de ser heterozigoto Ceder atenção especial a mudanças em comprido período e anotá-las Penugem escassas pela cabeça, pescoço e pernasNo momento em que o filho, que trabalha por ali, mostrou a ela a respeito do anão exército de guaxinins perto de teu escritório, ela acrescentou uma nova parada ao teu itinerá ístico. "O Metropolitan Museum, o Museu de História Natural, a ponte do Brooklyn", disse Caligaris. Os guaxinins várias vezes emergem do mato e surpreendem as hordas de jogadores de Pokémon Go que caminham pelo parque à noite, entre os quais o ator Leonardo Altafini, vinte e oito, que vive no Brooklyn.Ele estava caminhando com os amigos na expectativa de capturar criaturas virtuais, e não de achar criaturas vivas. Altafini, desviando o ver da tela na direção de um guaxinim que se aproximava de sua perna. Ele parou por uma etapa pra admirar as bolas de pelo de cauda listrada que o cercavam, mas só por um momento.

Comments: 0

Add a New Comment

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License